sábado, 13 de março de 2010

O Pedro foi ao Jardim de Infância do Milharado

Após a acompanhar a Estafeta do Conto de Santo Estêvão das Galés à Charneca, o Pedro foi visitar os meninos do Jardim de Infância do Milharado para contar a história "O Cuquedo"
A história foi escrita pela Clara Cunha, as ilustrações do Paulo Galindro e o livro foi editado pela Editora Livros Horizonte.
Ainda na parte da manhã, a Sala Encarnada, da Educadora Patrícia e da Auxiliar Lídia receberam o Pedro muito bem e sabiam o que ia ali fazer.
Os meninos não acreditaram que o Pedro pudesse ter em casa um elefante ou uma girafa, porque sabiam muito bem quais eram os animais da selva. Havia meninos que já conheciam a história, contada por familiares e isso é muito bom sinal. Nós queremos é que muitos pais arranjem um tempinho para lerem um pouco com os seus filhos.
O Cuquedo que tinha chegado à selva deixou todos os animais muito preocupados. Os rinocerontes, girafas, elefantes, hipópotamos e zebras estavam muito assustados.
Depois do susto final (desculpa João!), chegou a altura de todos os animais da selva encarnada representarem a história.
E a manada andava "de cá para lá" e "de lá para cá".

Os meninos da Sala Encarnada deram uma magnífica prenda ao Pedro. Muito Obrigado amiguinhos!



Após o almoço, a selva está reunida na Sala Azul, com a Educadora Andreia e a Auxiliar Sílvia.


 Os meninos ouviram a história muito atentamente.


 E gostaram do teatro da selva azul. Como é que os elefantes e as girafas entraram na sala?

 Olha o Cuquedo Lucas. 


 E todos os animais da selva a percorrem toda a selva azul.
Que grande susto que o Cuquedo Lucas pregou a todos os animais da selva.

 Na Sala Amarela estavam os meninos e a Educadora Anita.


 E terminámos como nas outras salas, com todos os animais convocados para o teatro.


O Cuquedo Hugo foi muito assustador.


 Olhem a manada amarela, "de cá para lá" e "de lá para cá".



Foi muito divertido visitar estes meninos do Jardim de Infância do Milharado. Muito obrigado pela forma como me receberam. Até breve.

Sem comentários: