sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Sala 2 - 3.º Ano

Amigas e amigos:

Os colegas desta sala ouviram ler o conto “Olá, eu sou um livro!”, que a professora Liliana requisitou na BIBLIOTECA.


Vejam o desafio que depois aconteceu nesta sala, como Trabalho de Casa:

Imagina que és o livro do conto: “Olá, eu sou um livro!” que ouviste na sala de aula e conta a história que guardas dentro de ti (mínimo de 15 linhas). Dá um título à tua história.

Claro que o Folhas teve logo uma das suas ideias especiais e, depois de conversarem todos, a Sala 2 aceitou a proposta do Folhas. Todos os meninos e meninas desta sala se lançaram à tarefa e depois de cumprida, votaram os 4 melhores textos que aqui estão, publicados no nosso blogue!

Já perceberam qual foi a ideia do Folhas, ou não? E claro que estas e outras ideias fantásticas serão também apresentadas a todas as turmas da nossa escola!

Estejam atentos!




O MEU LIVRO PREFERIDO Afonso Fernandes

Quando chegou o dia do seu aniversário o Marco esperava ansiosamente que o pai chegasse a casa.
Finalmente o pai chegou trazendo-lhe um presente. O Marco ficou com os olhos a brilhar e um sorriso enorme quando percebeu que era um livro sobre o animal preferido – a baleia.
Aprendeu muitas coisas, por exemplo, que a maior baleia do mundo é a baleia azul e que pode pesar tanto como 20 elefantes. A baleia mais rápida é a orca.
As baleias e os golfinhos são da mesma família. Os cetáceos são mamíferos como eu. As baleias vivem em grupo e comunicam através de sons estranhos, têm um apetite enorme e alimentam-se de pequenos peixes, lulas e outras criaturas que vivem no mar…
O Marco não parava de ler…












     


A CASA FANTASMA Alexandre Mendes
Numa tarde de verão, numa cidade desconhecida havia dois irmãos, um chamava-se Rafael e o outro chamava-se Afonso. Os dois irmãos passeavam de bicicleta e o Rafael disse:
- Olha aquela casa é tão estranha, não achas?
- Sim, olha tive uma ideia. Que tal irmos investigar aquela casa velha? – Disse o Afonso.
- Boa ideia, vamos lá! – Disse o Rafael.
Os dois irmãos entraram na casa calmamente. O jardim estava abandonado e sujo, e os pássaros não cantavam. O Rafael disse:
- Ei, Afonso, não achas que aqui só há silêncio absoluto? E os únicos pássaros são corvos pretos com penas brilhantes?
- Sim, mas Rafael, apesar de eu ter 18 anos, o que me mete mais medo são aquelas estátuas com espadas que parecem que nos vão atacar, não achas?
- Sim, mas o que me mete mais medo são os corvos!
- Deixa-te de conversas e vamos lá entrar!
Os dois irmãos quando entraram deram de caras com 3 corujas só com uma perna, chamadas Hoothoot, que só diziam o seu nome.
- O que é isto, Rafael? – Perguntou o Afonso.
- Não sei mas nas costas dele está a dizer isto: “O meu nome é Hoothoot.” – Disse o Rafael.
- Ai, ai! – Disse o Afonso ao Rafael.
- Ai, ai, o quê? – Perguntou o Rafael.
- Aquilo é… é… é… é… um dragão! – Disse o Afonso.
- Ah, é só um dragonite! – Disse o Rafael.
- Como é que sabes? – Perguntou o Afonso.
- Está ali escrito, não vês? – Disse o Rafael.
- Eu vou para casa. – Disse o Afonso.
- Também eu, embora para casa e nunca mais voltamos. Combinado?
- Combinado.











                                                                                               



UMA NOITE DE HALLOWEEN Matilde Borlido

Era uma vez duas meninas que eram melhores amigas.
Essas meninas adoravam terror e um dia elas foram convidadas para entrar num filme que se chamava “Noite de Halloween.”
Elas aceitaram e no dia seguinte lá foram.
Pelo caminho disseram uma à outra:
- Tu achas que nós vamos ter medo?
- Não sei!
Quando lá chegaram disseram as duas ao mesmo tempo:
- Vamos começar?
-Vamos pois! Vá, atenção!... Começar!
- É a primeira vez que estou com medo!
- Também eu!
- Do que é que estás com medo?
- Eu estou com medo destes sons estranhos.
- Olha, eu também!
- E que tal fugir?
- Ok!




O LIVRO QUE QUERIA SER LIDO Tiago Gil

Era uma vez um livro que estava numa livraria, e um dia foi lá uma menina chamada Emília que gostava de ler, e levou um livro em que o título era: “Olá, eu sou um livro.”
E um dia a Emília entrou no país do livro e viu um castelo que tinha um monstro e um príncipe. A menina beijou o príncipe. E casaram-se. Mas a menina saiu do livro para jantar. No dia seguinte foi pôr o livro à livraria e o senhor perguntou:
- Gostou do livro?
- Sim era giro. Esse livro é mágico, não é?
- Sim – respondeu o senhor.

1 comentário:

Galega Encarnada disse...

Gostei de todos as histórias. Parabéns a todos.
Beijinhos,
Leonor - sala encarnada