sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Texto colectivo - sala 6

A sala 6 veio à biblioteca conversar sobre o Pão por Deus e o Dia das Bruxas.
Descobriram, com o professor Francisco, que esses dias estão relacionados com tradições de diferentes culturas, mas que hoje-em-dia se celebram e se vivem um pouco por todo o lado, em vários sítios do mundo.

A seguir à conversa resolvemos fazer um jogo de palavras, que começou por cada menino e menina pensar numa palavra relacionada com a conversa e escrevê-la numa tirinha de papel. Depois lemos as nossas palavras uns aos outros e descobrimos que havia muitas diferentes e outras iguais...

Então construímos um texto colectivo com as nossas palavras: cada frase tinha que começar com a palavra do primeiro menino, terminar com a palavra do segundo menino, palavra essa que ia iniciar a frase seguinte e assim por aí fora, até entrarem no texto as palavras de todos!

Ficou um "texto maluco" e foi divertido!

Concluímos que para a próxima vez que jogarmos, temos que tentar pensar em mais palavras novas, para não aparecerem tantas palavras repetidas... Mas desta vez foi assim, porque fizemos o que tínhamos combinado: no texto não podia falta a palavra de ninguém!

E o Folhas resolveu que este desenho (que um menino deixou num dos computadores da biblioteca, mas sem lhe pôr o seu nome, por isso não podemos, para já, dizer quem é o autor...) fica mesmo bem a ilustrar esta notícia!


Pão por Deus é do avô,
avô que leva flores à bruxa,
bruxa, a amiga da múmia.
Múmia que ataca o vampiro,
vampiro que morde outra bruxa.
Essa bruxa vai levar gulodices,
gulodices e muitos beijinhos
beijinhos com um ramo de flores
flores que são do jardim da bruxa.
Bruxa que trata das flores
as flores que ela gosta são rosas
rosas que vão para o saco
saco da bruxa.
Bruxa que faz doces
doces que são gomas com cara de vampiro
vampiro que oferece um bombom
bombom para um seu amigo vampiro
vampiro que não quer guloseimas
guloseimas que pôs no saco
saco às flores
flores do Pão por Deus.

Desafios do Folhas

Amigos!

O Folhas está sempre a "magicar" formas de entrar em comunicação com os meninos e meninas da escola e vai lançar-vos desafios ao longo do ano...

Na verdade, o primeiro já anda por aí!... Que tal experimentar escrever a partir de ilustrações?
Pode ser uma mini-história...
Pode ser um poema...
Podem ser frases, jogos de palavras...
O que o Folhas quer mesmo é ler as produções dos seus amiguitos que aceitarem responder ao desafio...

Ora espreitem:

Myebook - Desafio do Folhas - click here to open my ebook

sábado, 23 de outubro de 2010

Partilha de histórias 2

Desta vez foi a sala azul que ofereceu uma história à sala verde e, por sua vez, a sala verde contou uma história à sala azul. As histórias escolhidas foram Come a sopa, Marta e O caldo de pedra.
Cada sala ouviu contar à sua educadora e vieram à biblioteca assinalar o Dia da Alimentação com esta partilha.
O Folhas acha que não foi por acaso que as duas histórias escolhidas falam de sopa...

Foi assim a apresentação da sala verde...



O público atento...


E foi assim a apresentação da sala azul...





quinta-feira, 21 de outubro de 2010

A SOPA VERDE

A sala 1 ouviu a história A sopa verde que a professora Lúcia contou na aula, a propósito do Dia da Alimentação.
Noutro dia veio à biblioteca visionar as imagens da história e fazer o seu reconto! Foi muito divertido e juntos construímos uma nova história, o que foi uma tarefa feita com muito entusiasmo e participação de todos! O Folhas até aposta que, se a pudéssemos mostrar ao seu autor original, o Chico, ele havia de achar bem engraçado!
Ah! E como nós gostamos de partilhar o que fazemos, quem quiser pode pedir à sala 1, que lhes emprestará a sua obra com todo o gosto! Está disponível na biblioteca!

Partilha de histórias

A sala encarnada e a sala amarela vieram à Casa do Folhas para partilharem duas histórias entre si.
A propósito do Dia da Alimentação, estes meninos e meninas ouviram, nas suas salas, as histórias: A lagartinha comilona e A mosquito.

Resolveram vir à biblioteca para cada sala contar à outra, a história que tinha ouvido.
Usaram fantoches que construíram para contar as histórias aos amigos da outra sala e foi muito animado!
Também conversámos sobre os alimentos, como é importante comer bem, não comer demais e saber quais são os alimentos que devemos preferir todos os dias e aqueles que só devemos usar às vezes e em doses moderadas...
O Folhas ficou muito contente com a visita destes meninos e meninas e com tudo o que eles contaram e conversaram!

LEÓNIA DEVORA OS LIVROS

A sala 3 está a trabalhar esta história e começou por inventar um texto para ela, a partir das ilustrações, antes de conhecer o texto original.

Aqui está:

Sobre o título: Leónia devora os livros, foram à procura do significado de "devorar": comer? saborear? Provavelmente... Ler e saborear a leitura (a Leónia vai gostar muito de ler...) e inventaram o título da sua história: Leónia adora ler.

Leónia é uma menina diferente: tem um apetite especial por livros. Gosta de saborear todos os livros que tem no quarto.

Sentada confortavelmente no sofá, a beber limonada, com uma pilha de livros ao lado, Leónia está a ler com uma cara feliz! O seu gato espreita por cima do sofá o livro que a menina vê.
Leónia vai até à biblioteca para entregar os livros que requisitou e que já leu.
O dono da biblioteca dá indicações à Leónia para arrumar os livros de forma correcta. Ela ia tantas vezes à biblioteca, que já sabia o lugar dos livros e por isso é que também tinha licença para os arrumar.
A mãe da Leónia pediu-lhe para pôr a mesa. Ela pôs o copo, os talheres, mas em vez de colocar o prato, pôs o livro que estava a ler. E assim, ficou o Gato das Botas à mesa, assustadíssimo, a pensar que o iam comer!
O Gato das Botas resolveu chamar o pai para dizer à Leónia que, se comesse o filho, ele comia-a a ela!
Mais personagens se juntaram ao pai do Gato das Botas, para o ajudar: era o Rei, um gigante, uma fada-rainha e um duende. Tinham todos um ar muito triste porque não queriam perder a personagem principal da história, que também era um bom amigo!
As personagens aconselharam Leónia a ir ao médico para ver se existia algum problema, devido à fome que a menina tinha de livros. Na consulta o médico viu-a a dar dentadas nos seus próprios livros de medicina e chamou o pai, que a levou para casa, muito zangado.
Em casa pô-la de castigo, sem livros para ler nem para comer!

Sozinha no quarto, triste e sem livros para ler, Leónia lembrou-se que tinha escondido um livro de culinária debaixo da cama. Apressou-se a abrir o livro e nesse momento saiu de lá um cozinheiro, que preparava uma receita com livros num grande caldeirão. Enquanto mexia o seu cozinhado, apresentou-se à menina:
- Olá, Leónia, eu sou professor de culinária e chamo-me Sabetudo.
Como estava cheia de fome, Leónia pediu-lhe se podia provar um bocadinho e Sabetudo deu-lhe licença para comer.

De repente abre-se a porta do quarto e era o pai da Leónia. Mal o viu, o cozinheiro assustou-se e de um salto desapareceu dentro do livro, levando o seu caldeirão. Ficou em cima da cama um misterioso frasco com um belo laçarote.

Quando abriu o frasco, levantou-se uma grande ventania e uma data de livros começaram a voar à volta da menina, que só conseguiu apanhar um… Mal o segurou, sentiu-se a levantar voo e…
… viu-se sentada num restaurante muito especial: tinha uma ementa só de livros.
Como Leónia não tinha trazido dinheiro para pagar a refeição, o dono do restaurante disse-lhe que podia ficar lá a trabalhar. Pagaria a sua despesa com tarefas e seria uma grande ajuda, pois estavam com falta de empregados.
De tanto trabalhar, a Leónia ficou tão cansada que decidiu descansar um bocadinho e, quando o dono do restaurante deu por ela, já estava a dormir profundamente, num cantinho da cozinha.
Leónia dormia e sonhava! Era agora uma princesa, muito famosa e rica, que vivia em Nova York, guardada por um dragão que a tinha presa.
Durante o seu sono apareceu um príncipe, voando, para ir salvar a princesa Leónia do terrível dragão.
Ao ver o príncipe, o dragão tentou atacá-lo com o fogo do seu bafo, mas o príncipe fez um voo rápido, espetando a espada em cheio na barriga do dragão!

Vencido o dragão, o príncipe aproximou-se da Leónia, deu-lhe um beijo e ela acordou.

Quando a princesa Leónia olhou para ele viu, envergonhada, que lhe fazia uma bonita vénia, pedindo-a em casamento, enquanto os seus pais assistiam a tudo, muito contentes!
Foram para o sótão real, a sua nova morada mas, como estava tudo cheio de pó, decidiram limpar e remodelar as instalações, de alto a baixo.
Casaram e tiveram dezoito filhos, nove meninas e nove rapazes, todos gémeos e que, tal como a mãe, devoravam livros.
A Leónia decidiu escrever a sua história e tornou-se escritora.
Na família todos gostavam muito de ler e de escrever e eram conhecidos pela família devoradora de livros, tal era o prazer que tinham em os ler!
FIM

BIBLIOPAPER

Tivemos outra visita!
Veio trabalhar connosco sobre a utilização da biblioteca a Carla, que faz parte da equipa da Biblioteca Municipal. A Biblioteca Municipal é nossa parceira, significa que nos ajuda, para que a nossa biblioteca escolar funcione cada vez melhor!

Esta foi mais uma actividade de colaboração que aconteceu: a Carla trouxe uma forma divertida de relembrarmos algumas regras de funcionamento das bibliotecas e de como elas estão organizadas para nosso benefício.
Gostámos de fazer o Bibliopaper!

Participaram os alunos do 3.º ano, para quem esta actividade era destinada: sala 2 e sala 3.
Aqui temos a reportagem sobre a sala 2.













E agora é a vez da sala 3.













Obrigada, Carla, o Folhas também adorou! E aprendeu muitas coisas novas sobre a utilização das bibliotecas.