segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

AS FORMAS DA SALA AZUL

A Sala Azul veio devolver ao Folhas os livros que tinha requisitado.


Alguns desses livros eram sobre as formas geométricas, que os meninos desta sala andaram a aprender.














Trouxeram uma surpresa ao Folhas que tinha a ver com este tema.
Ora vejam!

AQUI ESTÃO OS QUADRADOS:

"Eu sou o quadrado
bonito demais
tenho 4 lados
todos iguais".

DEPOIS OS CÍRCULOS:

"Eu sou o sr. círculo
sou igual à lua
sou o mais bonito
lá da minha rua!"

AGORA OS TRIÂNGULOS:

"Eu sou o triângulo
tenho 3 biquinhos
de chapéu eu sirvo
para os palhacinhos".

E POR FIM OS RECTÂNGULOS!


"Eu sou o rectângulo
cresci mais de um lado
p'ra fazer inveja
ao sr. quadrado."

O Folhas gostou muito de aprender as formas com a Sala Azul!
Até á próxima visita!

sábado, 29 de janeiro de 2011

SEXTA-FEIRA DE PARTILHAS: NOVA SESSÃO!

A MINHA SURPRESA É...

E cá tivemos de novo a Sala Encarnada na Casa do Folhas!

Desta vez trouxeram uma experiência para partilhar - experiência que nos alertou a todos para o PERIGO de brincar com sacos de plástico - e uma nova história inédita, de uma menina desta sala.

Aqui fica a reportagem!

Precisamos de ar para respirar!


Por isso nunca devemos brincar com nada que nos possa impedir de respirar! É o caso das brincadeiras com sacos de plástico - NUNCA devemos fazê-lo e devemos alertar todos os que virmos a usar sacos de plástico indevidamente. Sacos de plástico devem ser apenas para levar ou guardar as compras e outros objectos que queiramos transportar ou proteger!

Para que os meninos e meninas que vieram assistir à apresentação das surpresas da Sala Encarnada compreendessem melhor esta regra de segurança, os amigos acenderam duas velas - que para arderem precisam de ar - e depois taparam essas velas com dois frascos, um maior que outro.






Ficámos a observar com muita atenção o que estava a acontecer e concluímos que a vela que ficou acesa mais tempo foi a que esteve tapada com o frasco maior, que tinha mais ar. Até repetimos a experiência e trocámos a posição dos frascos, e voltou a acontecer que a vela que se apagou mais tarde foi a que esteve tapada pelo frasco maior.

Podem ir até ao blogue da Sala Encarnada ler mais sobre esta actividade!

Depois ouvimos a história que foi inventada por uma menina desta sala!
Era uma vez duas borboletas que foram arranjando mais amigas... no final já eram seis borboletas!




No fim de ouvirmos a história conversámos um pouco sobre os formatos que podemos ter à nossa disposição para ler histórias e decidimos que esta história, para além do formato papel em que foi construída - um livro "tradicional" - vai ficar também disponível, aqui no blogue, em formato digital.

Obrigado e parabéns à Sala Encarnada, por mais este encontro de partilhas, que correu mesmo bem!

Podem ver e ler esta história já aqui nesta notícia do blogue! Também podem ir até ao separador OS NOSSOS EBOOKS... e lá estará ela à vossa espera!

Myebook - A FESTA DO ENCONTRO DAS BORBOLETAS - click here to open my ebook

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

SÃO OUTRAS PRENDAS PARA O FOLHAS

Desta vez não são desenhos, é um jogo que temos na biblioteca e de que os meninos gostam muito! Com ele inventam, inventam até para lá do céu!
A Beatriz Pereira da Sala 5 inventou e a Ana fotografou!
O Folhas claro, adorou!


A Mariana Balbina da Sala 1 construiu e o Folhas sorriu...


OBRIGADO por estas prendas maravilhosas dos nossos utilizadores!

PARA TI, FOLHAS!

Folhas, mais prendas maravilhosas dos nossos leitores e utilizadores! TODINHAS PARA TI!!!



terça-feira, 25 de janeiro de 2011

RECOMENDO A LEITURA PORQUE...


Amigos,

Iniciamos com este "post" uma nova rubrica no nosso blogue, que até vai ter direito a um separador!

Trata-se de dar voz aos nossos leitores e convidá-los a darem a sua opinião sobre o livro que requisitaram para ler em casa, nos seus tempos de lazer.

Todos os leitores que quiserem experimentar esta nova actividade proposta pela biblioteca deixarão a Ana e o Folhas muito felizes e devem saber que estão a fazer um excelente trabalho para si mesmos!
Estão a aprender e a treinar competências de crítica construtiva e de capacidade de expressar uma opinião: a sua!

Todos os interessados, ao requisitar um livro na biblioteca, deverão pedir o talão RECOMENDO A LEITURA PORQUE..., para que possam, após a leitura, escrever o que entenderem sobre o livro.

SUGESTÕES:
Podem falar de uma personagem, contar uma pequena passagem de que tenham gostado, falar sobre a forma de escrever do autor, dizer que aprenderam palavras novas e dar exemplos, contar o que o livro vos fez imaginar... Enfim, podem dar a vossa opinião com muita criatividade e até pedir ajuda aos vossos pais e professores, desde que a crítica seja feita por vós!

A Ana e o Folhas ficam à espera de ler as vossas recomendações de leitura!

Ah! E mais uma coisinha: cada talão preenchido por vós ficará dentro do livro respectivo, serve até de marcador, e pode ser consultado por todos os meninos e meninas que venham a requisitar esse livro!

E aqui no blogue iremos publicando todas as vossas sugestões de leitura!

Ficamos à espera!

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

A FADA DOS DENTES

Logo no início deste período a nossa biblioteca teve uma visita muito importante!

Como o Folhas e a Ana não puderam fazer a reportagem, pedimos que espreitem aqui, agradecendo desde já aos amiguinhos da sala Encarnada!

E não se esqueçam de combinar convosco mesmos, como resolução de Ano Novo, que vão ser muito cuidadosos com a saúde dos vossos dentes!

Obrigada, Dr.ª Helga, pela sua visita e por tudo o que nos falou sobre como ter uns dentes saudáveis!

SEXTA-FEIRA DE PARTILHAS - JÁ COMEÇOU!!!

A MINHA SURPRESA É...


Pois foi! Quem deu o "pontapé de saída" para esta actividade foi a Sala Encarnada! E trouxeram logo não uma, mas duas surpresas!

O Folhas manda um grande beijinho para todos, os autores, os contadores e os espectadores... e fica à espera de mais!

Quem serão os próximos amigos a trazer surpresas para partilhar?

Aqui fica a reportagem!


A primeira surpresa que estes amiguinhos trouxeram para partilhar foi o reconto da história Era uma vez uma velhinha.


Era uma vez uma velhinha que, depois de se ter banqueteado com um mosquito...


uma aranha...

uma cegonha...


um gato...
um cão,


uma serpente...

uma vaca e...
um cavalo,


fecha os olhos devagar... O que lhe terá acontecido?
(Venham conhecer este livro na Biblioteca!)

HISTÓRIA PERFEITA, PELA SALA ENCARNADA FEITA!

segunda surpresa foi uma história original, inventada por dois amigos desta sala! E sabem que até o livro era especial? Como era uma história de tempos muuuiiito antigos, resolveram fazer um livro como nos tempos em que apareceram os primeiros livros, que eram rolos, sabiam? Ora vejam:


Aqui fica a fotografia do livro que eles trouxeram, com as imagens sobre a história! O tema era muito interessante, tinha a ver com a História do nosso planeta Terra, que já é muuuiiito antigo! Falava da pré-história, dos animais diferentes e gigantescos que já habitaram no nosso planeta e por fim até aconteceu, nesta história, uma catástrofe provocada por um meteorito que chocou com o solo terrestre!

Depois de ouvirem a história, houve meninos da assistência - convidámos 2 meninos de cada sala da nossa escola, ora como temos 10 salas, adivinhem lá quantos meninos e meninas faziam parte do público? - que comentaram ter falado na aula sobre este assunto dos meteoritos e de como no nosso planeta já aconteceram, há muitos, muitos séculos, catástrofes que modificaram por completo a vida, fazendo desaparecer as espécies animais e vegetais existentes e dando origem a novas!
Falou-se de animais herbívoros, e de animais carnívoros, que foram os últimos a desaparecer nessa altura, pois comiam os herbívoros, que entretanto já não tinham espécies vegetais com que se alimentar...
Enfim, como vêem, foi uma partilha muito boa e animada! Vejam mais sobre esta história aqui!
Até à próxima sexta-feira de partilhas!

FAÇA LÁ UM POEMA - Concurso PNL

Amigos,

O Folhas está muito feliz porque hoje mandou poemas de meninos da nossa escola para a sede do nosso agrupamento, para que, após a selecção feita pelo júri, de apenas (oh!...) um poema - regras do concurso! - por cada escola e por cada ciclo de ensino, sejam enviados para o PNL todos os trabalhos seleccionados.

Se algum poema do nosso agrupamento ganhar ficaremos muito contentes, e então se for um da nossa escola mais felizes ficaremos!... mas o que o Folhas acha mais importante ainda é a participação! E da nossa escola foram três os meninos que quiseram participar.
Aqui estão os poemas deles, para que todos possam ler e saborear! Parabéns pela participação! E ficaremos à espera de saber, lá para Março, os poemas que tiveram a sorte de ser premiados!


O professor
Um simples professor apenas
aponta o caminho das letras,
um professor de verdade, ajuda
a alcançá-las.

João Pedro Lopo, 8 anos, 3.º ano

O mar
Sem o mar eu seria feliz na minha rua,
neste último andar da casa
a ver de dia o sol e de noite as estrelas ao pé da lua,
calada e quieta sem um mesmo golpe de asa.

Sandro Cunha, 8 anos, 3.º ano

Viagem
Quero voar,
Quero partir.
E quando ao destino chegar,
Irei sorrir.

Batendo asas,
Sem parar.
Já que parti,
Quero chegar.

Voei, voei.
Até que cheguei.
Não mais irei partir.
Mas, como já disse,
Cheguei e quero sorrir!

Maria Beatriz Lourenço, 10 anos, 4.º ano

PRENDA DE ANO NOVO

Às vezes o Folhas recebe prendas!

Aqui está, para todos - porque o Folhas ADORA PARTILHAR! - este desenho do Rodrigo Almeida com votos de Bom Ano de 2011!
Obrigado!

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

O PAI NATAL PEQUENININHO

Ainda a propósito do Natal - e talvez à laia das Janeiras... - a Sala Verde veio oferecer ao Folhas o livro que construiu a partir de uma história de Natal que os meninos ouviram na biblioteca: O pequeno Pai Natal.



Obrigado! Aqui fica esse reconto.
CAPA

CONTRACAPA

Era uma vez um Pai Natal que gostava de fazer, ele próprio, as prendas com muita antecedência.


Este Pai Natal era muito pequeno, o que fazia com que os outros Pais Natal e o chefe dos Pais Natal não quisessem a sua colaboração.

O Pai Natal ficava triste e à noite ia pela floresta escura e pensava nos colegas que andavam a distribuir as prendas nos seus trenós.

Numa dessas noites ouviu os animais a queixarem-se de que eram esquecidos pelo Pai Natal e que nunca recebiam nada.
Foi buscar as prendas que tinha feito e distribuiu-as pelos animais, que ficaram muito felizes!
A partir desse ano os animais nunca mais foram esquecidos.