domingo, 26 de junho de 2011

E A MINHA SURPRESA É... ÚLTIMA SESSÃO DESTE ANO LECTIVO!

Pois é, amiguinhos, chegámos ao final de mais um ano de muito estudo e de belas experiências de aprendizagem!

Aqui ficam as últimas apresentações deste ano.

Já sabem que estes trabalhos são feitos por pequenos grupos de meninas e meninos que se dirigem à biblioteca, manifestando à A. e ao Folhas vontade de elaborar, a partir das suas próprias ideias, pequenos projectos de trabalho.

E, a pouco e pouco, à hora dos intervalos, o trabalho vai-se desenvolvendo e as ideias vão tomando forma!

Aqui ficam os registos do dia D, o dia em que os grupos apresentaram aos colegas os seus trabalhos.

A primeira apresentação foi de um grupo de três amigas da Sala 3, a A.a, a J. e a R.. Elas construíram um texto intitulado A PAZ.

Para o apresentar tiveram a ideia de fazer o Jogo da Raposa Matreira, que consiste em se detectar as palavras erradas e, no seu lugar, colocar as palavras certas.

Aqui está a "solução", o texto correcto da autoria das três amigas:
Aqui está o texto com palavras que era preciso substituir...
Quando se acertava numa palavra correcta, aparecia esta mensagem:
 

A seguir, outro grupinho de três amigos da Sala 6a I., o N. e o R., partilhou com os colegas o seu projecto, em que o texto, os desenhos e as vozes são da sua autoria.

video

O texto deles é assim:

Na primavera
passeio debaixo das árvores
e levo comida para merendar.
Sento-me à beira do lago
regalado, a comer um gelado.
O aroma das flores vem até mim
e chama os insectos
(mas confesso
que não gosto deles muito por perto).
Prefiro outros animais!
Animais,
que podem ser passarinhos
que nascem em ninhos.
Conheço um ninho
perto daquele lugar
onde o arco-íris, no céu,  começa a navegar.
É aí que me encosto num arbusto
a ver o sol a brilhar…
E, se fosse às dunas no deserto, adoraria olhar o luar!
Quando estou na praia vejo o mar
e os caranguejos a passar.
Também me ponho a imaginar
se os legumes darão para fazer perfumes…
No meu jardim
deito-me na relva a apanhar ar fresco,
enquanto vejo mamíferos ao longe a pastar
(porque os meus olhos já estão a fechar).

Pessoas, plantas e animais
fazem parte dos habitantes da Terra.
Gostava de fazer uma graaannnde viagem de lambreta
Porque… eu amo o meu planeta!

Por fim, outro grupo de amigas da mesma sala, a A., a B.z e a C. construíram um texto com sabor a férias e apresentaram-no com "um cheirinho" a teatro... O cenário foi todo imaginado e construído em cima de uma mesa da biblioteca.

Aqui fica a gravação possível, feita "na hora"... Obrigada ao professor F.!

video

Esta é a folha com o texto a as nossas marcações, para que tudo corresse bem!


O texto das três amigas é assim:

Tenho
uma mala da praia com um desenho:
um sol brilhante
como um diamante
e o mar azul.
Quando vou à praia ponho a mala ao ombro
e lá dentro levo
a toalha, o balde e a pá.
Gosto do desenho da minha mala da praia!

Faço montões e buracos,
adoro escavar sem parar, à beira-mar.
Descubro, a brincar,
que na areia fininha há mil uma pedrinhas
que nem se conseguem contar!...

 Na praia eu uso chapéu.
Gosto de me sentar a relaxar
debaixo do guarda-sol
que me protege do sol.
Trago água no meu balde,
e ponho a bóia para nadar,
na piscina ou no mar.
E quando o calor é pesado
Sabe bem comer gelado...

Na praia gosto de ter amigos com quem brincar.
Nós, as crianças gostamos de chapinhar
e de usar braçadeiras quando queremos ir nadar.

NO DIA MUNDIAL DA CRIANÇA CÁ NA ESCOLA COMEMOROU-SE...

Tivémos um dia em grande, cheio de actividades e de festa!

Destacamos:

MENINOS E MENINAS DA NOSSA ESCOLA GRAVARAM PARA A RÁDIO

Pois foi, a voz da nossa escola ouviu-se na rádio! Aqui pode ouvir as vezes que quiser!

E aqui também pode assistir à gravação!
Meninos e meninas representantes de todas as turmas da escola gravaram este belo texto colectivo, da autoria dos alunos da Sala 4, sobre os Direitos da Criança.

A criança tem direito a ter direitos,
não digam que não,
pois tudo o que nos vem à cabeça
é dito pelo coração!
A criança tem direito a nascer, a viver e a aprender a ler.
Andar na escola, ter educação.
Tem direito à igualdade
seja qual for a sua raça, cor ou religião.
Todas as crianças têm direito
a ter segurança em primeiro lugar!
Segurança
que nenhum Homem lhe pode tirar.
Toda a criança tem direito a comer, beber e crescer.
Sou uma criança
e posso brincar
tenho direito
de ter um lar
ter alguém
que cuide de mim enquanto crescer.
Sou uma criança e quero ser feliz.
Posso brincar, rir, dançar, cantar!
Tenho direito a cuidados médicos,
e ser socorrido em primeiro lugar.
Tenho o direito de ter uma família,
uma casa e onde morar.
Toda a criança é um menino brincalhão
que gosta de ter atenção.
Para viver
precisa de uma boa alimentação:
proteínas, vegetais, muita fruta e bom pão!
Amor
não é tudo o que uma criança precisa para viver.
A criança tem direito a ter amigos,
e a escolher as amizades.
Tem direito a ter privacidade
e a ter um nome
e uma identidade.
A criança tem direito a ter amor,
seja de que raça for.
A criança tem direito a ter carinho
como todos os adultos tiveram.
E à cultura,
a cultura do seu povo, da família que é a sua.

FEIRA DO LIVRO USADO

Foi assim...

Obrigada aos Galegos Encarnados, sem eles não poderíamos publicar um "rasto" destas actividades aqui, porque a Ana e o Folhas não tiveram como fazer o registo na altura...

ATELIÊ "A VIDA DAS PALAVRAS"

Aconteceu na nossa escola um Ateliê muito engraçado: começámos por ouvir uma história contada com fantoches...

O actor Carlos Sebastião esteve durante uns dias na nossa escola e trabalhou com cada turma por sua vez.
Trouxe-nos uma história da sua autoria, contada com uma técnica de fantoches muito antiga, a "técnica dos robertos" adaptada à manipulação de fantoches de vara, que também já se usam para contar histórias desde tempos muito remotos...

Era uma história passada no "mundo dos pássaros", entre dois heróis (as personagens principais) muito diferentes, uma gaivota e um melro. Um acidente de voo faz com que Gabriela, a gaivota que só conhecia o mar, a praia e só comia peixe, caia ferida num bosque, precisamente onde vivia, com seus pais, o melro Malaquias, que a ajuda a recuperar.
Ficam amigos, mas aí é que começam os seus problemas porque... a família Melro Melo não achou graça nenhuma à nova amiga do filho, pássaro estranho, de penas brancas e que não sabe comer a bicharada (insectos) apreciada por toda a família Melo...
Os novos amigos decidem partir do bosque em direcção ao mar, onde vivem as outras gaivotas, que Gabriela acha que não vão reagir da mesma maneira e vão adorar conhecer um pássaro preto que nunca comeu peixe na vida! (e nem sabe o que isso é...)

Podem espreitar como foram as sessões com as turmas do pré-escolar:

video

Aqui está "um cheirinho" das sessões com as turmas do primeiro ciclo:

video

OS "AVÓS" DO MILHARADO VIERAM VISITAR-NOS

Tivemos uma visita muito especial, os idosos que são utentes do Centro Social e Paroquial do Milharado. Vieram estar com um grupo de meninas e meninos representativo de todas as turmas da nossa escola e juntos passámos uma hora divertida e recheada de jogos, canções, adivinhas e sorrisos.

Combinámos encontrar-nos mais vezes já no próximo ano lectivo!

Até breve!

video

E A NOSSA FEIRA DO LIVRO FOI ASSIM

Mais uma vez tivemos na escola os nossos amigos livreiros, a Mena e o João, cheios de paciência e de carinho pelos livros e pelos meninos e meninas leitores.


Chegam, carregadinhos de caixotes, num instante montam uma feira aliciante nas mesas da biblioteca que a Ana e o Folhas emprestam e fica uma alegria na escola, com todas as turmas a visitarem a feira e os meninos e as meninas a fazerem as suas escolhas, sobre que livro levar, como um novo amigo, para casa.

Adoram receber cada turma e cada menina ou menino que vem ver a banca dos livros, apontam em papelinhos o preço dos livros para os meninos levarem para casa e falarem com os pais, mostram os livros por dentro, deixam que os meninos lhes peguem, desde que seja com muito cuidado, e conversam com todos os visitantes da feira, sobre os livros, as histórias e muitas outras coisas!
video

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Escritora Susana Cardoso Ferreira

Tivemos uma visita que foi aliciante! Tratou-se da "mãe" do Jeremias, do Mateus e do Minas, da Cauchu e do Aparas... Sim, a escritora Susana Cardoso Ferreira passou uma tarde connosco e foi delicioso!
Ainda por cima a expectativa era grande, porque as turmas que esperavam esta visita adoraram ler as duas histórias e fartaram-se de pesquisar na Internet sobre a autora... mas só encontraram esta informação acerca do seu percurso! E nem uma foto! Todos estavam muito curiosos, a imaginar quem iria aparecer...
Para apoiar a conversa com os alunos, a Susana trouxe duas apresentações em Ppt e um livro muito especial, a sua primeira experiência como autora...
Foi uma tarde espectacular, e até houve tempo para os autógrafos da praxe!
Esta foi a sessão relativa à obra Os pés mágicos de Jeremias.


Tudo começou quando a Susana foi fazer uma experiência inesquecível: ensinar meninos e meninas em Moçambique... Assim, com esta apresentação e a conversa com a Susana, ficámos a saber a história da história... pois é, o Jeremias foi inspirado por um desses meninos que a Susana conheceu e com quem trabalhou em Moçambique...

video

A sessão seguinte foi dedicada ao livro Minas, o lápis professor.


Era uma vez um menino chamado Mateus que ainda não sabia ler. E os seus professores foram personagens muito especiais...
video

TEXTO PARA O PAI

video

A Sala 4 fez um ateliê de escrita e o resultado foi um belo texto para o Dia do Pai.

Tudo começou pelas palavras...
A turma construiu uma lista de palavras que, para todos e cada um, tivesse, a ver com "pai".

Protetor

Quentinho

Fixe

Trabalhador

Carinhoso

Amigo

Querido

Fofinho

Cozinheiro

Divertido

Impecável

Feliz

Bom

Bonito

Energia

Corajoso

Teimoso

Inteligente

Criança

Giraço

Ajudar

Brincalhão

Dançarino

Contador

Forte

A partir das palavras surgiu este belo texto:

O meu pai é protetor,
muito fixe e guloso,
grande trabalhador,
de abraço quente e carinhoso!
És um pai bom,
bonito e impecável.
Com toda a tua energia
fazes magia!
És estrela brilhante,
muito, muito cintilante.
Ficava tão feliz
se um dia me levasses a Paris!...
O pai é inteligente e giraço,
também é corajoso,
parece uma criança
quando é teimoso.
Armas-te em inteligente, pai
só para nos impressionar,
és corajoso
e gostas que te chamem jeitoso!
Querido pai amigo
tens um colo bem fofinho
tal e qual um ursinho,
és um grande cozinheiro,
divertido, no teu formigueiro.
Gostas muito de ajudar,
de contar e de brincar.
És forte e dançarino,
será que sabes fazer o pino!?…
E cantar o hino?

HOSPITAL


O Folhas explicou à Sala Verde, com a ajuda da Ana, como fazemos quando encontramos livros estragados: antes que fiquem pior tratamo-los como se estivessem doentes e ficam numa caixinha a descansar até a Ana os poder arranjar. Essa caixa é o Hospital dos livros.

Quando estão de novo cheios de saúde, voltam para o lugar a que pertencem, na prateleira, e ficam à espera que os meninos os vão buscar para ler!